Clínica odontológica: organizar para ir mais longe.

Organização e sucesso foi o tema abordado pelo palestrante Celso Orth no Ateliê Oral Meeting 2019.

Celso, que é dentista e conhecido consultor na área, abordou tópicos relevantes sobre pontos que auxiliam no sucesso de uma clínica odontológica.

Mas antes de entrar no tema, o palestrante lembrou que não existe um parâmetro exato para sucesso, cada um tem sua própria percepção. Lembrou também que não é o tamanho e o número de funcionários da clínica que demonstra o sucesso do negócio.

Um fator importante sobre crescimento e que muitos clientes nos perguntam é sobre o nome da clínica. Quando o dentista opta por colocar o seu próprio nome, tal escolha pode representar um risco para o crescimento de seu estabelecimento. Celso Orth fez a analogia com um médico urologista, que tem a clínica no seu nome. Quando um homem vai fazer o exame de próstata, ele se prepara para fazer isso com o doutor proprietário da clínica, o que está com o nome na placa, no site, etc. Porém, se a clínica cresceu e mais médicos atendem lá, e esse paciente seja encaminhado para uma médica mulher, o exame, que por si só já é complicado para a maioria dos homens, se torna ainda pior por não ser com o médico escolhido pelo paciente.

Então, o problema é que a clínica odontológica que leva o nome do proprietário pode ter dificuldades na hora de expandir, pois o paciente poderá preferir ser atendido pelo dentista responsável. Nessa hora, a comunicação é fundamental para poder reverter a percepção do paciente, fazer com que ele entenda que há uma equipe. Para esse entendimento, é imprescindível ter uma TRANSIÇÃO EFETIVA.

Mas o que é TRANSIÇÃO EFETIVA?

O dentista responsável precisa explicar ao paciente que outros profissionais darão andamento ao tratamento. Nesse momento, é importante fortalecer a imagem do profissional, explicando que ele é o especialista na área, é referência. Celso Orth ressalta ainda a importância de que o dentista que irá assumir o caso/tratamento tenha todas as informações sobre aquele paciente, que saiba todos os detalhes do que já foi tratado, mesmo que não sejam só clínicos. "Ele tem que entrar conhecendo o perfil desse paciente, como ele se comporta".

Quando a clínica começa a crescer, é difícil a transição dos pacientes que já eram atendidos pelo dentista para outros profissionais. Celso Orth ressalta a importância de não errar com os novos pacientes e que o ideal seria a troca do nome para algo que não fique tão pessoal: "Se é difícil fazer a transição com pacientes antigos, e eu reconheço que não é nada simples, agora com os novos nós não podemos errar. O novo paciente que chega na clínica, já aí com a mudança da marca, não mais o João da Silva, mas talvez Silva Odontologia, parte daí. Quando apresentarmos os planos de tratamento e o cronograma, temos a obrigação de passar para ele qual dentista vai fazer o quê ".

O conteúdo desse texto é baseado na palestra de Celso Orth durante o evento Ateliê Oral Meeting 2019, que ocorreu em São Paulo.  A Multiforma Comunicação Integrada é especialista em comunicação e marketing para dentistas e clínicas odontológicas, por isso, busca participar de eventos na área da gestão e marketing para dentistas.

Quer receber gratuitamente em seu email mais conteúdos como esse?

receber-material
WhatsApp