Como prosperar na crise? Inovação e oportunidades para médios e grandes prestadores de serviços em saúde

A presença do Ricardo Amorim no Ateliê Oral International Meeting era a grande esperança, aquela vontade louca de ouvir ele dizer a crise está acabando, agora vamos voltar a crescer. Ou, se a crise não está na reta final, ele vai dizer quando tudo isso vai melhorar. Se o dólar vai baixar…enfim…ele é o cara do mercado financeiro.

Pois é, ele não falou! : (

Aí descobrimos que o Ricardo não é um mago com uma bola de cristal, mas sim um economista que trabalha com estudos e projeções.

Então, se ele não falou quando sairemos dessa crise, o que ele falou?

Historicamente, nenhum país ficou mais de 8 anos em crise. Sendo que 8 anos é para países que estiveram em guerra. A boa notícia é que a crise no Brasil, embora não pareça, está completando 6 anos, ou seja, já estamos no processo de voltar a crescer. Porém, há um pequeno probleminha que se chama política e suas delações premiadas, isso até a próxima eleição deve ter impacto negativo no crescimento. O bom é que a partir das eleições de 2018 tudo tende a voltar para os eixos.

Mesmo com tanta instabilidade política, o Brasil dá alguns sinais de melhora com os empregos voltando a crescer. Mas como isso afeta meu consultório? Tem mais gente trabalhando, ganhando dinheiro, e consequentemente comprando. Assim, aquele pai que estava desempregado e precisava colocar aparelho no filho, agora conseguiu emprego e pode investir no tratamento ortodôntico dele.

ricardo_amorim2_empregos

Ricardo Amorim também fez uma projeção de como será a revolução na saúde (odontologia). Atualmente com alto custo, alta tecnologia e baixo acesso. No futuro a ideia é que se aumente a tecnologia e o digital e, por conseguinte, isso baixe o custo possibilitando um maior acesso.

Veja a foto da tela que ele apresentou no evento:

ricardo_amorim3_revolicao_saude

.